quinta-feira, 1 de outubro de 2015

The hardest part

Deletei as nossas conversas e joguei tudo que remetia a ele (fotos impressas e uma lembrança que ele me deu) fora, mas os acontecimentos continuam amargando aqui dentro. É tão difícil superar. E olha que essa não é a primeira vez que estou nesse lugar. Já estive aqui no auge dos meus dezesseis anos e doía tanto que parecia que eu ia morrer. Até hoje meus primos me perguntam daquele cara que me fez chorar tanto nas férias Já se passaram seis anos e dia desses vi esse cara passeando com a nova namorada na rua e suspirei aliviada lembrando que ninguém morre de coração partido.


Eu só pensava que estando mais "adulta" lidaria com isso de forma mais madura. Mas pelo visto não existe amadurecimento para os assuntos do coração. Continuo me sentindo a Larissa de dezesseis anos que foi facilmente descartada. Porque esse é o sentimento real da coisa toda. Eu me sinto um lixo. Sinto que nunca mais (eu disse que tinha voltado à adolescência) vou gostar de alguém como gostei dele e que nunca mais vou gostar de beijar alguém de novo. E que nunca mais eu vou sair desse buraco que só faz crescer. Uma amiga minha já chegou a dizer que depois que chegamos ao fundo do poço, o único lugar pra ir é pra cima. E ela está muito certa. Deep inside eu sei disso. Mas essa dor é chata. É UM INFERNO. De repente você está ocupando sua cabeça e depois vem uma pequena dorzinha aguda na garganta anunciando que você vai transbordar a qualquer momento. Eu não gosto de viver assim. Isso me faz querer correr atrás de quem não merece só pra poder passar essa dor irritante. 

Eu não vejo mais futuro viável com ele. Já repeti milhões de vezes que não vai dar certo e que eu tenho que ser forte, mas o meus sentimentos são muito bocós pra essas questões. Eu sou a pessoa que sempre cedeu, sempre procurou entender e que aprendeu que não existe discussão no grito. Eu já aprendi tanto, mas ainda não aprendi a seguir em frente sem ficar remoendo isso 24h por dia e cansando minhas amigas (desculpa migas) tentando entender O QUE SE PASSA NESSA CABEÇA OCA. MOVING ON IS THE HARDEST THING,

É foda saber que vai ficar tudo bem, mas mesmo assim sentir que não vai. Wtf.

4 comentários:

  1. Oiee!! que desabafo menina! Isso mesmo, coloca tudo pra fora! Nao importa a nossa idade, coracao quebrado sempre vai doer. O que eh uma pena. Mas como voce mesma falou, ninguem morre de coracao partido. Bola pra frente. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/por-ai-ainda-existe-saudade/

    ResponderExcluir
  2. Miga, amiga é pra isso! Tamojunto nessas coisas do coração e essa sua amiga aí tá certíssima! E passa, a gente sabe que passa... mas até chegar lá é essa luta aí, meus níveis de identificação com esse texto foram gigantes e eu só queria MUITO te dar uma abraço bem apertado!

    beijo <3

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sei muito bem o que é isso. Não posso ficar falando que isso vai passar prque comigo não passou (e acho que vou remoer pra sempre isso), mas sinceramente, vai chegar um momento que você vai cansar. Eu encontrei um antídoto porque realmente o acho um idiota imprestável (kkkk juro, juradinho) mas o que é mais difícil é aquele sentimento do que foi... Sabe?
    Não sei se o meu comentário fez algum sentido kkkk mas o resumo é estamos juntas nesse barco, e a gente vai aprender a viver com isso.

    ResponderExcluir
  4. Ai, Larie, que merda. Eu nunca passei por isso, acredita? A única fez que passei por algo parecido com isso doeu um pouco, mas eu logo superei porque o guri em questão era meio bosta, e no fundo eu sabia disso. Talvez não seja o seu caso, mas tudo passa. Ninguém morre de coração partido mesmo. Mas ainda assim é super válido sentir tua dor, tem que sentir ela direito pra quando tu seguir em frente, tu consiga fazer isso sabendo que a pior parte já passou.
    Fica bem.
    Beijo. <3

    ResponderExcluir

Meu estágio, minha vida

Há cerca de dois ou três anos eu costumava escrever bastante sobre os sufocos que passava na universidade. Falava muito sobre minhas dúvid...