segunda-feira, 11 de novembro de 2013

About books and e-books

Desde pequena eu tenho esse ritual de ir nas livrarias e ficar observando, tocando e folheando os livros, mesmo que eu não tenha intenção de comprá-los. Parece coisa de viciado – e talvez seja –, mas arrisco dizer que qualquer leitor que seja muito envolvido com a literatura também faz algo semelhante porque esse ato é tipo a preliminar, de lá você pode se envolver numa boa história, você pode se conectar com um autor e assim decidir se vai levá-lo ou não. É como o senhor Carlos Ruiz Záfon disse “Cada livro, cada volume que você vê, tem uma alma. A Alma de quem o escreveu, e a alma dos que leram, que viveram e sonharam com ele” e isso torna toda a experiência de comprar um livro muito mais excitante do que outras pessoas imaginam.

Mas por que eu resolvi falar disso? Porque eu comprei um kindle e estou muito preocupada com essa facilidade de livros à minha disposição que estão saindo de graça e num click. Pirataria é um negócio complicado e quando você menos espera, você tem uma biblioteca com 54 livros de um dia para o outro te esperando para serem lidos. Vários deles são do domínio público e tal, mas há outros que não e, minha gente, é um problema. Porque tem a questão financeira que é incrivelmente poupada nesse ato, mas também tem a questão de direitos, do suor que esse autor teve pra escrever pra coisa sair assim, de graça. E se vocês me perguntarem “Ué, e por que você tá com dúvida, já que você tem consciência de que é errado?” Porque, meus caros, eu ando receosa de comprar livros e deixá-los na minha estante já que só vou ler uma vez. Estou cheia deles aqui em casa e provavelmente passarei pra frente, também de graça. E vocês sabem que várias pessoas mudam as atitudes quando o bolso é o alvo e, infelizmente, minha bolsa de iniciação vai acabar e não tenho moneys pra sustentar o meu vício.

large

Esse bafafá todo anda rondando minha mente nesses últimos dias e olha que meu kindle ainda nem chegou e nem sei se a minha adaptação será complicada porque tem gente que não se acostuma com a ausência do livro em mãos, do cheiro (que eu não curto porque 98% das vezes fico com dor de cabeça), do ato de passar a página e de acariciar a capa e essas coisas que só leitores entendem. Não sei, são muitas dúvidas, muitos pensamentos e muitas abdicações.

(Só quero deixar claro que não vou parar de comprar livros, mas vou ser muito mais seletiva na coisa porque há histórias que não me cativaram tanto a ponto de eu querer ler mais de uma vez.)

4 comentários:

  1. Posso acabar cuspindo na minha testa um dia, mas não tenho vontade nenhuma de ter um E-book. Sou completamente viciada nos livros físicos, e quando leio um livro pela tela não me concentro o necessário e rapidamente esqueço a história. No entanto, sabe que bem esse fim de semana eu andei pensando nessa história de comprar tantos livros pra ler uma vez só? Isso porque eu tinha gastado tipo uns 35 reais num livro e 31 no outro, e li um no sábado e um no domingo, e aí pensei que meu Deus, tinham ido 60 reais num final de semana e fim. Penso nisso, mas mesmo assim penso que amo ter meus livrinhos ali na estante. Não sei quando isso vai mudar, mas acompanhemos.. haha.
    Agora, jura que tu não gostas do cheiro dos livros? Fiquei chocada, como assim um leitor que não gosta do cheiro do livro? HAHAHA
    Beijos! <3

    ResponderExcluir
  2. Eu me vi todinha na descrição de um leitor numa livraria. Eu sou a louca das prateleiras de uma livraria e mais ainda rodando um sebo. É bom além da conta, acho que por isso resisto tanto em adquirir um Kindle. Até tenho vários pdfs salvos no meu notebook e é bizarro, pois se eu começo a ler algum pdf e me amarro na história, vou correndo para a livraria comprar o livro e continuar a leitura. O que não aconteceu com A culpa é das Estrelas, pq nesse caso eu li o livro todinho em pdf e depois reli todinho em livro, porque não dá para ler esse uma só vez.


    Tomara que você se acostume e o dilema passe ;)

    ResponderExcluir
  3. É que além das características que você citou, você não sentiria falta daquela "ansiedade" de comprar o livro em si? Porque as vezes você não faz em função do preço enquanto que no Kindle muitas vezes não ocorre isso. Você entendeu minha observação? :)

    ResponderExcluir
  4. Meu amigo tem um kobo e fala sempre: compre um, que é o melhor presente que você pode dar a você mesma. Eu ainda tenho um receio de me apegar demais aos digitais e parar de comprar livros físicos, porque eu amo demais encher a minha estante, amo demais ficar admirando minhas belezuras e poder pegar um, vez em quando, e ficar mexendo eternamente, matando as saudades. Esse mês comprei 7, mas todos juntos não deram nem 50 reais, e olha que foram livros que eu queria bastante, enfim, vez em quando faço esses estragos, mas é por uma boa causa (minha felicidade).
    Achei muito bacana tu ter tocado nessa questão da pirataria, ainda não tinha lido nenhum comentário dos que têm aparelhos do tipo sobre o assunto. <3

    ResponderExcluir

Impressões sobre "Um dia"

Depois de muita resistência da minha parte, consegui terminar de ler o livro "Um dia" do David Nicholls. Antes de tudo, gostari...