sábado, 22 de junho de 2013

Convite aos manifestantes

Ia começar esse texto dizendo que não iria falar de manifestações porque já estava problematizando as questões com meus amigos, mas a verdade é que ando tão monotemática que o texto saiu por si só. Falar de política não é fácil, sabe? Principalmente quando a) você conhece tão pouco, b) você NUNCA se interessou pelo assunto e c) você foi ensinado que político nenhum presta. Não é fácil falar de política quando você nasceu na minha geração e isso está ficando cada vez mais claro à medida que converso com algumas pessoas.  Mas não é impossível não, tá? Vamos tirar essa ideia da cabeça.

Ainda dá tempo de a gente vasculhar as bibliotecas dos nossos pais e da universidade. Ainda dá tempo pra gente investir aquela graninha em livros que nos ensinam a base da política. Vamos ler, gente. Vamos pra biblioteca antes de ir para as ruas. Acho que todo mundo devia fazer isso antes de fazer uma revolução. Buscar, entender, contextualizar e saber pedir. É o mínimo a se fazer pra coisa dar certo. Os conceitos de muita gente estão turvos. O que mais vejo são pessoas que se apropriam de pensamentos de outras pessoas E ISSO É ERRADO. Vamos sair pras ruas com propósitos bem questionados, não só para fazer massa. As fotos vistas de cima ficam ótimas, mas me angustia saber que há folia, que tem gente que só saiu nas ruas porque os amigos saíram.

Não sou a maior entendedora de política do mundo e confesso que nunca havia parado para ler algo sobre. E que estava inserida nas pessoas que não eram fáceis de lidar, mas é com muito orgulho que digo que saí da zona de conforto e que agora estou lendo, aprendendo e gostando. Saí das notícias da internet e resolvi ler um livro de 1982 do meu pai, o “Tudo começou com Maquiavel” do Luciano Gruppi. E acho que é assim que tem que ser com todo mundo. Buscar as raízes da política e aprender a chegar à urna e saber em quem votar e questionar o porquê de você estar votando naquela pessoa. É isso. Cansei de votar sem consciência e acho que todo mundo também, mas pra mudar o país, todo mundo tem que estar com ideias bem formuladas na cabeça pra saber discernir o bom do ruim.

Eu bem sei que não dá pra confiar 100% nos políticos, mas eles estão lá para nos representar, não se esqueçam disso. Acho que a gente deve pressioná-los inteligentemente porque o povo também tem poder. O poder de botá-los lá em cima. Só depende da gente.

Vamos nos mobilizar direito! Aqui tem alguns livros pra gente começar.

Um comentário:

  1. Vamos ler!
    Disse tudo, Larie. Se a galera gastasse a energia que tem colocado pensando em cartazes engraçadnhos e criativos para buscar entender melhor o que está acontecendo no país e, mais importante, o que elas, DE FATO, querem que aconteça, a coisa estaria mais organizada.
    Felizmente, tenho Ciência Política na minha grade e semestre passado fiz uma cadeira da Sociais de Análise Política Contemporânea que me deu a oportunidade de ler, entender e debater um bocado sobre os grandes temas políticos do mundo. Mas claro que não é suficiente e sempre teremos mais e mais livros pra ler (ai meu bolso!), mas isso é ótimo. Fico animada com essa perspectiva.

    Beijo, Larie!

    ResponderExcluir

Meu estágio, minha vida

Há cerca de dois ou três anos eu costumava escrever bastante sobre os sufocos que passava na universidade. Falava muito sobre minhas dúvid...