terça-feira, 7 de maio de 2013

Life is a competition

Uma série de fatos me levam a crer que sou uma pessoa de baixa auto-estima e hoje, finalmente, tive a coragem de me abrir para os meus pais. Conversei separadamente com eles e o que consegui extrair de tudo isso é que eu devo focar em superar os meus limites (não dos outros) e que estou cercada de gente que gosta de me influenciar de maneira negativa porque sabe que não sou a pessoa  mais decidida dessa vida.

Daí me pus a pensar em como é difícil viver num mundo assim. Em como é difícil confiar em si mesmo com tanta gente dando pitaco. Em como é difícil pensar por si próprio sem ter medo de errar. Em como é difícil desenvolver o seu eu no meio de tanta gente influente. E em como é difícil enxergar quem são essas pessoas porque, apesar de ter quase vinte anos, ainda não consigo diferenciá-las das outras. Só sei diferenciar porque meus pais – e meu namorado – abriram meus olhos.

A minha única vontade, no momento, é saber como se identifica essas pessoas logo de primeira para que eu possa me proteger de uma possível decepção futura porque, convenhamos, é muito ruim confiar em alguém e depois perceber que essa pessoa estava tentando te manipular para que você não fique à frente dela. É até frustrante andar com gente assim. Afinal, é amigo ou colega?

2 comentários:

  1. Nossa, Larie. Acho que por ter encontrado muito gente do bem na vida aprendi a dar muito valor à amizade. E olha, se te trata dessa forma, nem colega é. Quanto mais amigo.
    Amigo é alguém que te mostra o melhor de você e te faz ser ainda mais. Nunca te põe pra baixo.
    Você merece pessoas assim. Todo mundo merece.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Dona Milena acima roubou minhas palavras, viu. Larie, amigo é quem se despe de muitos egoísmos (e orgulhos) porque te ama e te que bem. Gente manipuladora não merece o título, vá por mim. Beijos!

    ResponderExcluir