terça-feira, 14 de agosto de 2012

Respeito é bom e eu gosto (uma carta)

Olha, desculpa se eu não sou mais a menina animada que queria fazer todo mundo rir no ensino médio e que topava sair para qualquer canto. Já vi que minha vida quieta e pacífica te incomoda muito. A verdade é que cansei da vida agitada. E cansei de ser bobo da corte para os outros. Acho que você queria que eu voltasse a não ter opiniões e te seguisse como alguém segue uma religião. Não dá. Percebi que você vem me chamando de chata e de tediosa desde que eu parei de fazer tudo o que você queria, tipo dormir na sua casa e te contar tudo a respeito da minha vida. E até mesmo cansei daquelas perguntas que você faz como "O que você mudaria em você?". Sabe de uma coisa? Já houve um tempo que eu mudaria muitas coisas em mim, hoje é diferente. Eu gosto de ser quem sou, de aprender que não sei a verdade suprema das coisas e gosto até dos meus erros, pois aprendo com eles. E sabe quem me ajuda a ser alguém melhor? Meus pais, meu irmão (pois é, acredite), meu namorado e alguns amigos. Só eles. Não é porque não tenho uma vida agitada que eu sou chata, entenda isso. O que eu percebi é que eu não faço mais parte do seu mundo há muito tempo por escolha minha. Somos amigas, eu acho você gente boa, mas somos diferentes. E para ser amigo, acho que a primeira coisa que você deve fazer, antes de tudo, é aceitar o jeito do outro. Então, se você é minha amiga, pára de ficar gritando aos sete ventos que eu sou tediosa, tosca e podre. Isso não faz você melhor do que ninguém. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Meu estágio, minha vida

Há cerca de dois ou três anos eu costumava escrever bastante sobre os sufocos que passava na universidade. Falava muito sobre minhas dúvid...