sábado, 11 de agosto de 2012

Algumas coisas

Esse provavelmente será o post mais bagunçado de todos os tempos; mas, tudo bem, o importante é que pra mim faz sentido. Escreverei aqui sobre assuntos acumulados que não conseguiram ganhar uma forma de texto completo, restando-me apenas migalhas. Vou fazer uma ode à Virgina Woolf que inventou esse tal de fluxo do pensamento e deixar as coisas rolarem para vocês verem o quão minha mente trasborda assuntos. 

Primeira coisa que eu tenho a dizer é que sexta-feira (17) será meu aniversário e não estou nem um pouco empolgada com tal fato. Nunca na história dos meus aniversários me senti tão cu na vida (perdoem-me o palavriado, moçoilas). Não sei se foi algo que comi ou o fato de ano passado eu ter feito uma festinha massa e ganhado poucos presentes (sim, podem me chamar de fútil por sentir falta dos presentes) e, com isso, ter ficado traumatizada. Não sei, é um mistério, mas a magia que eu sentia nessa data parece ter escapado por algum canto do meu quarto. Esse ano não pedi nada aos meus pais, a não ser um pandeiro meia-lua (o que nos leva ao próximo parágrafo).

Antes que me perguntem: não, eu não sou pagodeira ou axezeira. Eu gosto de Rock e gosto mais ainda de -amo - Indie Rock. E, nas minhas andanças musicais pelo youtube, deparei-me com um vídeo do The Kooks fazendo cover do Foster the People e me apaixonei pelo pandeiro de estrela do Luke (e pelo cover também, vai). Foi amor à primeira vista, sério. Daí encasquetei que eu precisava de um pandeiro-estrela também e enjoei meu pai até que ele cedeu e me levou ao centro depois do inglês e, tchanans, voltei com um pandeiro meia lua - porque não tinha estrela :( - para casa. Acho que não há necessidade de dizer que estou aqui felicíssima aprendendo a tocá-lo com o pé enquanto toco violão e canto (isso não quer dizer que estou tendo sucesso, mas tudo bem). E sim, eu toco um pouquinho de violão e pode ser até que eu poste algum vídeo para vocês, mas não esperem muita coisa (sério, não é charme de artista não...até porque sou completamente amadora). 

Outra coisa que queria dizer, relacionada a fazer duas coisas ao mesmo tempo, é que me desafiei a ler dois livros de uma vez. Não é de hoje que fico impressionada com pessoas que dizem ler mais de um livro. No skoob mesmo fico morrendo de inveja dessas pessoas que adiantam não sei quantas leituras numa tacada só, enquanto eu, a lerda, passo um tempão num livro por uma necessidade de estar inteiramente voltada a ele para conseguir pegar todas as ideias que o mesmo passa. E antes que vocês falem "ah, é porque nunca tentou", digo que já tentei sim. Estava lendo "A menina que roubava livros" do Markus Zusak e comecei a ler, simultaneamente, o "Doidas e Santas" da Martha Medeiros e o que aconteceu no final das contas foi que não consegui terminar nenhum dos dois na época e, só depois de muito tempo, cheguei a terminá-los porque peguei um de cada vez. Mas enfim, o desafio já começou, vamos ver se dou conta.

eu e meus companheiros
Por fim, queria deixar registrado aqui que eu voltarei a fazer natação e que, depois de cinco anos afastada, terei meu cabelo e pele arruinados pelo cloro só para manter as pelancas longe de mim. Escolhas são difíceis, meus caros.

3 comentários:

  1. Que legal que você tem talento para tocar instrumentos! Eu sou uma negação! Mas adoro amigos com um violão, amo cantar com os amigos!
    E tenho trauma de natação, porque minha mãe me obrigou a fazer por uns 3 anos. Ugh.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. eu tinha vontade de aprender a tocar violão~
    dei uma olhada num pandeiro de estrela ~nunca tinha visto~ é bonito mesmo. mas, o seu é uma gracinha também ^^
    outra: feliz aniversário adiantado ;)

    ResponderExcluir
  3. Ai sim, multi-instrumentista!
    Me falaram que esse livro do Richard Dawkins é bom.
    Verdade?

    ResponderExcluir

Meu estágio, minha vida

Há cerca de dois ou três anos eu costumava escrever bastante sobre os sufocos que passava na universidade. Falava muito sobre minhas dúvida...